MUSA MICHELLE MATTIUZZI

Jardim da Abolição

2020

Instalação

Dimensões variadas

Coleção da artista

Para a Bienal 12 | Porto Alegre, a performer e artista visual Musa Michelle Mattiuzzi apresenta a obra Jardim da Abolição (2020), uma instalação que articula cento e onze vasos de tamanhos variados, onze ervas e flores de poder, cultivadas por tradições orais e por curandeiras do Brasil e da América Latina (como Alecrim, Arruda, Pimenta, Guiné, ou amansa senhor, como é conhecida por seu uso estratégico e subversivo por parte dos escravos), terra e a frase em neon, 'A intuição liberta a imaginação', emprestada do texto “A Dívida Impagável: Lendo Cenas de Valor Contra a Flecha do Tempo” de Denise Ferreira da Silva. O Jardim da Abolição se apresenta como um monumento-memorial ao uso de vasos de camélias por abolicionistas durante o processo de abolição da escravatura no Brasil. Por outro lado, a obra serve, também, como uma espécie de sugestão que declara a abolição intuitiva no pensamento para imaginar o presente à partir dessas plantas de poder (preto) e relembrar, no presente, gestos significativos, estrategicamente subversivos e radicais.

LeiDeIncentivoACultura - Bienal do Merco

REALIZAÇÃO:

PATROCÍNIO:

FA_SANTANDER_PV_POS_RGB - Bienal do Merc

FINANCIAMENTO:

ProCulturaRS-GovernoDoEstadoRS - Bienal
Minsterio do turismo.png

Site criado e desenhado pela EROICA conteúdo