MARUCH SANTIZ GOMEZ

No mencionar el nombre de la hoja de bejao al envolver tamales

1994

Prata sobre gelatina e texto em Tzotzil

44,5 x 29,7 cm

Cortesia da artista e Galeria OMR

 

Texto en Tzotzil: Ak'alal chbat j k'okbetik tal spix patz'e mu xtun jbiiltastik, mi la jbiiltastike mu xta'aj li patz'e; sepkantik tze sepkantik tok'on.

 

Tradução em Português: Ao cortar a folha de bijao para fazer tamales, não é bom mencionar seu nome, pois os tamales não cozinham muito bem; alguns pedaços saem cozidos e outros crus.

 

Traducción al Español: Al cortar hoja de Bejao para envolver tamales, no se debe mencionar su nombre, porque no se cuecen bien los tamales: salen pedazos cocidos y pedazos crudos.

 

Traducción al Inglés: When the bijao leaf is cut to make tamales, it is not good to mention its name because then the tamales do not cook well; some pieces come out cooked and others raw.

Maruch Santíz elabora um registro que surge da sua participação no Projeto Fotográfico de Chiapas, projeto este que proporcionou câmeras, filmes e materiais de laboratório para ser utilizados com fins artísticos em documentários. Isto foi em 1993 quando Maruch tinha 17 anos. Ela vinculou fotografias de objetos comuns, natureza e pessoas, à provérbios e crenças dos povos indígenas de Chiapas que não tinham escrita registrada. Trata-se de um conhecimento em estado de emergência que ela compila em tzotzil, a sua língua. Não são fotografias sobre os indígenas, mas fotografias feitas por uma mulher indígena. Quando ela pega a câmera, a fotografia deixa de ser um instrumento de controle social para se transformar em um instrumento de afirmação da sua identidade cultural.

Maruch Santiz Gomez

Maruch Santiz Gomez

México

REALIZAÇÃO:

PATROCÍNIO:

FINANCIAMENTO:

Site criado e desenhado pela EROICA conteúdo