KIMIKO YOSHIDA

Painting (Queen Marie-Antoinette in a Court Dress by Elisabeth Vigée-Lebrun). Self-portrait

2010

Fotografia em adesivo

300 x 300 cm

Coleção Kimiko Yoshida & Jean-Michel Ribettes

Como reação perante a pressão de uma sociedade conservadora e patriarcal, Kimiko Yoshida deixou o Japão e sua linhagem Samurai e se instalou na França. “Desde que abandonei meu país para evitar a escravidão e humilhação de muitas mulheres japonesas, tenho feito um protesto feminista contra os clichés contemporâneos em relação a sedução e serviço de voluntariado das mulheres, assim como contra estereótipos de gênero em geral”. Situada ante fundos monocromos, brancos, pretos, vermelhos, azuis, amarelos, a artista procede numa complexa e cerimonial performance que registra em uma fotografia. Com joias, chapéus e maquiagem se expressa por meio do seu corpo (body art) para aludir a traduções culturais e a mulheres (Maria Antonieta, Madame Pompadour, Medusa) ou a figuras como o Minotauro. Nestas representações faz menção a história da arte (Caravaggio, Boucher, Vigée-Lebrun, Picasso). Não é um autorretrato, mas sim um processo de transformação ritual, teatral, jubiloso, no qual a artista se foca no fenômeno da identidade feminina e no poder transformador da arte.

Kimiko Yoshida

Kimiko Yoshida

Japão

PATROCÍNIO:

FINANCIAMENTO:

REALIZAÇÃO:

Site criado e desenhado pela EROICA conteúdo