33º Festival de Arte da Cidade de Porto Alegre

2 a 5 de julho de 2019


Com temática sobre o universo feminino e as relações entre arte, feminismo e emancipação, o 33º Festival de Arte da Cidade de Porto Alegre traz exposições, performances, oficinas e cinema para capital gaúcha.



O evento ocorreu a partir desta sexta-feira até o dia 5 de julho e de 6 a 8 de agosto. 

Ao todo, foram 11 dias de atividades com exposições, performances, oficinas e cinema em seis espaços culturais: Centro Municipal de Cultura Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues, Pinacotecas Aldo Locatelli e Rubem Berta, Cinemateca Capitólio e PUCRS. 


Além disso, o evento também recebeu três artistas argentinas como residentes: Cristina Schiavi, Lena Szankay e Maria Rosa Andreotti, que fazem parte da Assembleia Permanente de Trabalhadoras da Arte Nosotras Proponemos. As artistas farão exposição, oficina, bate-papo e uma ação em Porto Alegre. Programação completo neste link. 




Programação


Exposições


28 de junho, sexta-feira, 18h30 Abertura das exposições na Pinacoteca Aldo Locatelli (Paço Municipal, Praça Montevidéu, 10 - Centro Histórico)



Artistas Mulheres: Territórios Expandidos


O grupo de pesquisa Mulheres Nos Acervos apresenta, na Pinacoteca Aldo Locatelli, a exposição Artistas Mulheres: Territórios Expandidos. A mostra coletiva é composta por cerca de 30 trabalhos que ressaltam o caráter multimídia da produção dos 181 artistas presentes na coleção da Pinacoteca Aldo Locatelli. É um dos desdobramentos da pesquisa que quantificou a presença de artistas mulheres nos cinco acervos públicos de arte de Porto Alegre. Os dados coletados pela pesquisa serão divulgados dentro da exposição e um programa educativo com falas abertas e mediações ao público será lançado na abertura.

Curadoria: grupo de pesquisa Mulheres Nos Acervos. Trata-se de uma pesquisa colaborativa que consiste na coleta, análise e aprofundamento de dados sobre a presença de trabalhos artísticos de autoria feminina nas coleções públicas de arte da cidade de Porto Alegre. A iniciativa foi criada pelas estudantes de história da arte Cristina Barros, Marina Roncatto, Mel Ferrari e Nina Sanmartin.


Serviço

Onde: Pinacoteca Aldo Locatelli

Paço Municipal - Praça Montevidéu, 10 - Centro Histórico 

Abertura: 28 de junho 18h30

Visitação: 1º de julho a 4 de outubro, de segunda a sexta

Horário: das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30

28 de junho, sexta-feira, 18h30



Natalia Schul - Descaber


Abertura exposição Paço Municipal - Sala da Fonte

Descaber, exposição individual de Natalia Schul com curadoria de Camila Schenkel, apresenta fotografias e vídeos que tratam da relação entre o corpo e o espaço em ações feitas para a câmera. Produzidos entre 2015 e 2018, os trabalhos constituem-se a partir de jogos de encaixe do corpo da artista em móveis e objetos ou pela exploração de movimentos que parecem sem cabimento. O corpo no lugar e o lugar do corpo.

Serviço

Onde: Pinacoteca Aldo Locatelli

Paço Municipal - Praça Montevidéu, 10 - Centro Histórico - Porto Alegre 

Abertura: 28 de junho 18h30

Visitação: 1º de julho a 19 de julho de segunda a sexta

Horário: das 9h às 12h e das 13h30 às 17h30

29 de junho, sábado,14h



Claudia Paim: Corpopaisagem


Abertura exposição Pinacoteca Ruben Berta (Rua Duque de Caxias, 973  - Centro Histórico - Porto Alegre)

A exposição em homenagem à artista visual e professora Claudia Paim - falecida em 2018 - abre uma janela para o universo poético de sua obra ao se debruçar sobre a sua principal pesquisa em torno do corpo e da paisagem, a qual desenvolveu através de diferentes meios como a performance, a fotografia, o vídeo, o som e o texto. Essa exposição também possibilita o acesso do público à uma amostragem de sua intensa produção artística que pouco foi mostrada em Porto Alegre. Com curadoria  de Dione Veiga Vieira, Elaine Tedesco e Marion Velasco.

Serviço 

Onde: Pinacoteca Ruben Berta

Rua Duque de Caxias, 973  - Centro Histórico - Porto Alegre 

Abertura: 29 de junho 11h

Visitação: 1º de julho a 24 de agosto, de segunda a sexta

Horário: das 10h às 18h (último acesso às 17h30) 

30 de junho, domingo, 20h



Zoravia, de Henrique Freitas de Lima


Sessão comentada com Roger Lerina, Zoravia Bettiol e Henrique de Freitas Lima) Cinemateca Capitólio Petrobras (Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico, Porto Alegre)

Documentário de longa metragem de Henrique de Freitas Lima, dedicado à artista visual Zoravia Bettiol. O filme integra a Série Grandes Mestres, que iniciou com a exibição em 2012 de Danubio, que teve o pintor e gravador Danubio Gonçalves (1925) como homenageado. 

Zoravia foi filmado em Porto Alegre e São Paulo, cidades em que a artista desenvolveu suas atividades ao longo de uma vida dedicada às artes visuais e militância por causas relacionadas à cultura, meio ambiente e direitos humanos.

Participam do filme muitos nomes conhecidos das artes plásticas brasileiras, como o crítico de arte Jacob Klintowitz e a gravadora Maria Bonomi, e uma legião de gaúchos, todos vinculados a trajetória da homenageada. Desfilam na tela nomes que já nos deixaram, como a socióloga Lícia Peres e o diretor e dramaturgo Ronald Radde, e artistas em plena atividade como André Venzon, Maria Ines Rodrigues e Rosane Morais.

Ficha Técnica

52 minutos, formato HD

Produzido, Escrito e Dirigido por Henrique de Freitas Lima

Fotografia e Câmera: Eduardo Amorim

Pesquisa e Assistente de Direção: Luzia Rodeghiero

Montagem: Eduardo Amorim e Fabio Lobanowski

Música: Sérgio Rojas

Edição de Som: Kiko Ferraz

Finalização: Daniel Dode

Coordenação Administrativa: Carmem Curval

Divulgação: Bebe Baumgartem

Realização da Cinematográfica Pampeana

Com apoio do SESC RS , RBS TV e TVE RS

Projeto financiado pelo FUMPROARTE da Prefeitura de Porto Alegre

Serviço

Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico, Porto Alegre

Ingressos: R$ 16 inteira / R$ 8 meia / (no local)

1º a 3 de julho - segunda-feira, terça-feira e quarta-feira



Mulheres Nas Artes: Feminismos, Narrativas e Invenções de Si


Esse programa, elaborado por Anelise Valls, propõe uma reflexão, a partir do tema desta edição do Festival e através da realização de palestras e oficinas, sobre a forma como a história da arte estuda e narra a presença e a prática artística de mulheres nas épocas moderna e contemporânea. 

O programa questionará a invisibilidade de suas atuações, bem como suas subversões ao cânone tradicional da arte e seus rompimentos com uma historiografia hegemônica.

Além disso, estão previstas oficinas de escrita, aquarela e bordado com profissionais que atuam em áreas que abordam questões de raça, etnia, orientação sexual e os múltiplos feminismos e suas pautas na contemporaneidade.

Inscrições com valor de R$ 10 por atividade.

1º de julho, segunda-feira, das 14h às 17h


Oficina Bordado Em Fotografia: Poéticas Negras, Memória e Liberdade - Miti Mendoça

Atelier Livre, Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues (Av. Erico Veríssimo, 307, Menino Deus) 


O Feminismo Negro é um movimento protagonizado por mulheres negras, que coloca em pauta, além do gênero, questões raciais e sociais. O enfrentamento de violências define a construção de autoestima, do afeto e do empoderamento de mulheres negras, que sofrem três formas de opressão: o racismo, o machismo e o preconceito de classe. A oficina abordará a história do Feminismo Negro, a partir do pensamento de intelectuais negras que colaboram para a concepção da vertente, como Djamila Ribeiro, Bell Hooks, Audre Lorde, Kimberly Cranshaw e Lélia Gonzalez. 

Como proposta prática, usufruirá do bordado em fotografia. A artista visual independente e escritora Mitti Mendonça contará sua trajetória e compartilhará fotografias de mulheres negras de sua família, como forma de conexão entre gerações, preciosidades ancestrais. E cada participante ficará livre para realizar intervenções nas fotos, através de palavras, desenhos, padronagens. Serão ensinados pontos básicos de bordado livre. Não é necessário conhecimento prévio em bordado ou costura.

1º de julho, segunda-feira, das19h às 22h



Palestra - Arte e Feminismo Negro- Izis Abreu e Considerações Sobre Artistas Lésbicas e Suas Produções - Lívia Auler


Atelier Livre, Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues (Av. Erico Veríssimo, 307, Menino Deus)

A primeira parte da noite contará com a comunicação de Izis Abreu, que visa estabelecer diálogos entre questões do feminismo negro e uma obra específica da artista Maria Lídia Magliani. A partir daí, reflete sobre os diferentes feminismos abordando obras de importantes intelectuais como Bell Hooks, Ângela Davis, Sueli Carneiro, Djamila Ribeiro entre outros nomes do pensamento feminista interseccional.

A segunda parte da noite terá a comunicação de Lívia Auler, que abordará artistas lésbicas que foram marginalizadas nas narrativas tradicionais da história da arte. Serão feitas, primeiramente, algumas considerações sobre a exclusão das artistas mulheres na historiografia das artes visuais e, em seguida, serão apresentadas algumas teóricas lésbicas que falam sobre a posição da mulher lésbica em uma sociedade heteronormativa e patriarcal - o que nos leva a uma compreensão sobre a dupla invisibilidade da artista lésbica. No segundo momento, serão apresentadas diversas artistas modernas e contemporâneas que direcionaram as suas vidas e suas obras para as questões da lesbianidade.

2 de julho, terça-feira, das 14h às 17h



Oficina de escrita criativa - Modos de Narrar: Partilha - Natalia Borges Polesso


Atelier Livre, Centro Municipal de Cultura Lup

icínio Rodrigues (Av. Erico Veríssimo, 307, Menino Deus)

O processo de escrita começa no silêncio, na partilha do olhar, no que se pode reconhecer primeiro dentro e só depois na palavra. Narrar não é ato solitário, narrar é coletivo. Como podemos contar e compartilhar nossas histórias? Essa é nossa pergunta-guia.

2 de julho, terça-feira, das 19h às 22h

Oficina - Pintura: Cartografias Do Corpo Feminino - Lilian Maus Atelier Livre, Centro Municipal de Cultura Lupicínio Rodrigues (Av. Erico Veríssimo, 307, Menino Deus)