Com o objetivo de oferecer uma vivência em arte e novas tecnologias, a 13ª Bienal do Mercosul divulga os 20 artistas e coletivos selecionados na Chamada Aberta. Os projetos escolhidos exploram e investigam novas tecnologias, linguagens e materiais, assim como revisam saberes e técnicas tradicionais. As obras, que serão desenvolvidas durante o período de seis meses, serão apresentadas na exposição Transe, que será instalada no Instituto Caldeira e fará parte da Bienal do Mercosul em 2022.

sobre A SELEÇÃO

Essa é a primeira vez que a Bienal do Mercosul realiza um edital que amplia a participação de artistas. Os projetos foram selecionados pelo curador Marcello Dantas e pelos curadores adjuntos Laura Cattani, Munir Klamt, Tarsila Riso e Carollina Lauriano.  A Chamada Aberta recebeu mais de 880 propostas de 22 países, entre eles Argentina, Uruguai, Colômbia, México, Estados Unidos, Eslovênia, Alemanha, entre outros.

Dos 20 projetos selecionados, 15 são brasileiros e outros cinco são de nacionalidades como Uruguai, Peru, Alemanha, Bolívia, Estados Unidos e Espanha. O processo de seleção foi composto por uma avaliação anônima de todas as propostas recebidas que cumpriram os critérios do edital, resultando em uma lista de mais de cem projetos. Uma segunda análise envolveu leitura de portfólios e uma série de entrevistas com os artistas finalistas.

“Criamos uma verdadeira comunidade, com um número incrível de participantes e com projetos vindos de diversos locais. E esse é o espírito da 13ª Bienal do Mercosul, uma mostra inclusiva e disruptiva”, declara a presidente da Fundação Bienal Carmen Ferrão.

Segundo o curador Marcello Dantas, “além  da alta qualidade das propostas apresentadas, a surpresa foi encontrar também pesquisas que relacionam arte, biologia e elementos orgânicos que se mostraram consistentes e bastante inovadoras”.

 

SELECIONADOS

Confira a lista dos artistas selecionados na Chamada Aberta

Biosound Sculpture Group – Brasil e Espanha

Bruno Borne – Brasil

Cesar & Lois – Brasil e Estados Unidos

Craca - Brasil

Elias Maroso - Brasil

Esfincter - Peru

Estela Sokol - Brasil

Fernando Sicco - Uruguai

Franco Callegari - Argentina

Gabriela Mureb - Brasil

Guto Nóbrega - Brasil

Ivan Cáceres - Bolívia

Leandra Espírito Santo - Brasil

Lucas de Sordi - Brasil

Nati Canto - Brasil

Nídia Aranha - Brasil

Pedro Carneiro - Brasil

Pierre Fonseca - Brasil

Poema Mühlenberg - Brasil

Vítor Mizael – Brasil

Os projetos selecionados terão o acompanhamento do curador e dos curadores adjuntos Laura Cattani e Munir Klamt e irão ocorrer em dois momentos: desenvolvimento do projeto e execução das propostas artísticas. Além do acompanhamento conceitual com mentorias, também será oferecido aos participantes um suporte técnico aos projetos por meio de entidades parceiras, que colocarão à disposição dos artistas, seus laboratórios, materiais e equipamentos.

Fotos: Alexandre Raupp 

Instituto Caldeira

O Instituto Caldeira é um dos principais símbolos do movimento pela inovação e empreendedorismo no Rio Grande do Sul. Fundado oficialmente em 2019 por 40 grandes empresas, está localizado no 4º Distrito de Porto Alegre, na instalação onde, na década de 1920, funcionou a antiga indústria fabril do grupo A. J. Renner.


A meta é abrigar 60 operações até maio de 2021, entre grandes corporações, startups e iniciativas ligadas à nova economia, conectando agentes do setor privado, universidades e poder público. 


O espaço de 22 mil metros quadrados, pelo qual deverão circular 1,3 mil pessoas nos próximos anos, já é um ponto de encontro para quem é apaixonado pela ideia de um Rio Grande do Sul mais competitivo e inovador.

Saiba mais sobre o Instituto Caldeira: https://institutocaldeira.org.br

DÚVIDAs SOBRE O PROJETO?

Entre em contato direto através do email

chamada.aberta@bienalmercosul.art.br